MÁS NOTICIAS
Juan Pablo Sánchez se impone cortando una oreja en la 1ª corrida de la Feria de San Juan del RíoGalería. Así vio la inspiración de André Viard… la Puerta Grande de Carlos Olsina en IstresLa galería de Elsa Vielzeuf así vio… triunfar a Carlos Olsina en IstresOrden de lidia de los toros de Jandilla y Vegahermosa para la Corrida In Memoriam de Las Ventas (Fotos y vídeo)Algemesí hace oficial el elenco ganadero para su feria de novilladasVíctor Hernández, finalista de la Copa Chenel 2024Carlos Olsina, el triunfo de la perseverancia‘Vendimiador’ de Jandilla abre la corrida In Memoriam homenaje a ‘Antoñete’Víctor Hernández primer finalista de la Copa Chenel 2024Homenaje a Antonio Chenel “Antoñete”, inmortal torero de la movida.Antoñete, así que pasen los añosJoselito: «El año de mi retirada no me fui en Zaragoza, sino en Sevilla, con un toro de Manolo González»‘Salta’ la millonaria venta de una finca brava entre ganaderías emblemáticas como Murube o El ToreroLa rotundidad de Ginés Marín y la torería de Talavante y Roca Rey, a hombros en Plasencia En Istres… ¡La Hermosa tarde de Christian Parejo quien cortó cuatro orejas!Un rotundo Ginés Marín corta cuatro orejas para salir a hombros con Talavante y Roca Rey en Plasencia (Fotos y Video)Luis David Adame corta una oreja en la primera semifinal de la Copa Chenel en Valdetorres de Jarama (Fotos)La galería de Elsa Vielzeuf así vio… a Christian Parejo, Leo Valadez y Castella en IstresPresentada la guía Bravo Madrid, con actividades para conocer ganaderías madrileñasGalería. Así vio la inspiración de André Viard… la Puerta Grande de Christian Parejo en Istres
16 junio 2024

.

Santarém e Coruche: as 6 pegas de ontem em Almeirim

Miguel Alvarenga – Frente a seis toiros de respeito de seis consagradas ganadarias que ontem disputaram o concurso na Arena D’Almeirim – a que prefiro sempre denominar, como antigamente, Monumental de Almeirim -, os grupos de forcados de Santarém e de Coruche estiveram em grande com seis pegas que levantaram o público das bancadas em tarde memorável de grande competição e que constituiu a primeira lotação esgotada da temporada.

Sob o comando do respeitado e grande forcado João Grave, que no Dia de Portugal se despede das arenas na Monumental «Celestino Graça», passando o testemunho a Francisco Graciosa, os centenários Amadores de Santarém realizaram uma primeira pega ao segundo intento, uma cernelha e uma terceira pega à primeira.

Os de Coruche, capitaneados pelo valoroso José Macedo Tomás, consumaram a sua primeira pega à segunda e as duas outras à primeira, tendo o último forcado, Tiago Gonçalves, realizado aquela que foi a mais emotiva pega da corrida.

O primeiro toiro, da ganadaria Passanha (510 quilos), disparou forte no momento de investir e derrotou violentamente o experiente António Queiroz e Mello, do Grupo de Santarém, que depois, na segunda tentativa, se fechou com decisão, recuando e templando a investida do possante e bom toiro, consumando a sorte muito bem ajudado pelos companheiros.

Outro forcado com experiência e provas dadas, o coruchense João Mesquita, foi para a cara do segundo toiro da tarde, bonito e codicioso exemplar da ganadaria Santa Maria (540 quilos), que lhe infringiu também um derrote violento na primeira intervenção, acabando por realizar a pega à segunda, com valor e brilhantismo, muito bem ajudado pelos sete companheiros.

Bravo (digno vencedor desse prémio), de apresentação imponente e cheio de sentido, o terceiro toiro era da ganadaria (agora espanhola) Condessa de Sobral (520 quilos), metia respeito e foi pegado de cernelha (sorte que nem todos os grupos hoje em dia praticam e que dá sempre gosto ver, para variar) pelos Amadores de Santarém, por João Manoel (cernelheiro) e Francisco Paulos a rabejar. O toiro tardou a encabrestar, não alinhava de forma alguma com os cabrestos, apesar do esforçado labor dos campinos e dos bandarilheiros – e há muito que já estava de olho nos dois forcados. A dupla acabou por entrar quando o toiro estava encostado às tábuas, sem os cabrestos por perto, consumando uma cernelha emotiva e dominando e parando o Condessa já no meio da arena. Os de Santarém continuam a manter a bonita tradição das cernelhas, uma sorte imortalizada neste grupo pelos sempre lembrados Ricardo Rhodes Sérgio e Jorge Duque, mais tarde por Carlos Empis e Joaquim Pedro Torres e, entre outros, também pelo enorme Nuno Megre.

Para pegar o quarto toiro da tarde, um sério e exigente exemplar da ganadaria Casa Prudêncio (o maior da corrida, com 590 quilos, que conquistou merecidamente o prémio de apresentação), saltou à praça João Prates (que rabejara o primeiro toiro do seu grupo), grande forcado, uma das estrelas dos Amadores de Coruche, um portento de raça e de técnica, forcado com alma e grande coração. Muito bem a templar a investida, fechou-se com a raça costumeira, teve os companheiros a ajudar com coesão e eficiência e realizou à primeira uma grande pega, como é seu timbre.

O quinto toiro da corrida, do Engº Jorge de Carvalho (470 quilos), foi ontem a ovelha negra do rebanho (coisas que acontecem, apesar da ganadaria atravessar excelente momento). Fechou-se em tábuas durante a lide de Bastinhas e levou apenas os dois compridos da ordem e dois curtos, não deu para mais. Estava quase «inteiro» e com a força do comboio. Caetano Gallego, uma das revelações da última temporada do Grupo de Santarém, fez uma pega notável. Tudo faria prever uma carga de trabalhos, mas o valoroso forcado superou todas as expectativas e realizou uma pega brilhante ao primeiro intento, fechando-se com decisão e imenso querer, muito bem ajudado pelo grupo.

Bonito, mas estranho e de investidas pouco francas, o último toiro era da ganadaria Varela Crujo Herdeiros (475 quilos). Pequeno, franzino, mas com coração de leão e uma alma de gigante, foi Tiago Gonçalves, dos coruchenses, quem o cabo José Tomás elegeu para o pegar. Bonito no cite, valente a aguentar a investida, recuando com temple e raça, o pequeno-grande forcado fez a mais emotiva e mais aplaudida pega da corrida, fechando a tarde com chave de ouro. Mal sentiu o Tiago na cara, o toiro desviou a rota para a esquerda, fugiu ao grupo, mas o forcado jamais saíu, fechado com braços de ferro, aguentando a carga e os derrotes, já com a praça de pé a aplaudir. Os companheiros não tardaram a apanhá-lo, ajudando com todas as forças e a pega foi consumada com muita emoção. Pega grande, forcado enorme, grupo em tarde de êxito. Depois da aplaudida volta à arena com Francisco Palha, o público exigiu outra volta a Tiago Gonçalves, mas o forcado recolheu à trincheira, junto dos seus, com o dever cumprido e a humildade dos eleitos.

Fique agora com a reportagem das sequências das seis pegas – num dia em que vamos estar aqui em cheio mostrando tudo o que ontem se passou na memorável corrida de Almeirim.

Fotos M. Alvarenga


António Queiroz e Mello (Santarém) na primeira pega da tarde,
à segunda, sorte brindada à cavaleira Mara Pimenta, com quem
deu aplaudida volta à arena


Segunda pega concretizada também à segunda (e também
brindada a Mara Pimenta) por João Mesquita (Coruche)


Toiro de Condessa de Sobral (prémio bravura) foi pegado de
cernelha por João Manoel e Francisco Paulos (Santarém)


Compêndio de arte e poderio, João Prates (Coruche) fez a
primeira grande pega da corrida à primeira ao toiro de Prudêncio
(prémio apresentação), dedicando a sorte ao antigo cavaleiro
Fernando de Andrade Salgueiro


A grande pega de Caetano Gallego (Santarém), à primeira, ao
manso e perigoso toiro do Engº Jorge de Carvalho, brindada à
Santa Casa da Misericórdia de Almeirim


Tiago Gonçalves (Coruche) na melhor e mais emotiva pega da
corrida, ao último toiro (V. Crujo), à primeira e arrojada
tentativa

Read Morehttp://farpasblogue.blogspot.com/