MÁS NOTICIAS
12 junio 2024

.

Sete pegas memoráveis ontem na «Palha Blanco»: o Regresso dos Heróis!

Miguel Alvarenga – Foi a tarde do Regresso dos Heróis ontem na «Palha Blanco», marcada não só pelas lides memoráveis dos seis Maestros do toureio a cavalo e do novo Bastinhas, mas também pelas sete pegas dos Forcados Amadores de Vila Franca, uma única por intermédio de um forcado actual, a primeira, consumada pelo valoroso cabo Vasco Pereira, com antigos nas ajudas, a que se seguiram seis – indescritíveis! – pela Velha Guarda, com as glórias de outros tempos – de sempre! – na cara, nas ajudas e a rabejar. Tão cedo, não me vou cansar de repetir, não vamos ver nada igual.

Vê-los a todos de novo fardados foi, logo à partida, um viver de emoções e recordações passadas com algum cheirinho a nostalgia pela lembrança de tempos gloriosos, por aquilo que todos eles representaram na História da Tauromaquia e sobretudo na História da Forcadagem. Uma tarde de glória à maneira antiga!

Na novilhada da véspera, o Grupo de Vila Franca apresentara as estrelas do seu futuro, com duas brilhantes pegas à primeira consumadas por Bernardo Gomes e por Miguel Faria, filho mais novo do antigo cabo Jorge Faria – que ontem foi um dos heróis da tarde.

Ontem, regressaram à ribalta os heróis de antigamente. Depois da pega inicial do cabo Vasco Pereira (à primeira tentativa, com a arte e o poderio de sempre, ajudado pelos antigos, com «Caló» a rabejar), mostraram que quem sabe jamais esquece os antigos cabos Vasco Dotti (à segunda, com a raça e o querer de todos os tempos, depois de um violento derrote na primeira tentativa), Jorge Faria (com a raça, o valor e aquele sorriso de sempre, à primeira, com os antigos todos a ajudar na perfeição e o grande Carlos Silva de novo a rabejar), o também antigo cabo Ricardo Castelo (à primeira, imponente a receber o toiro, templando a investida com arte, fechando-se com decisão, depois o toiro fez o hino sobre ele e Ricardo jamais saíu da cara – único!), o carismático Carlos Teles «Caló» (numa grande pega à segunda, depois também de um forte derrote na primeira intervenção, confirmando-se na fortíssima ovação que depois lhe tributaram que continua a ser, ainda e sempre, um dos mais queridos e emblemáticos forcados da nossa História!), o grande e sempre lembrado Ricardo Patusco (à primeira, com a técnica e o poder com que sempre cá andou) e o enorme Mário Rui (à primeira também, trazendo-nos recordações das suas muitas históricas pegas).

Nas seis pegas da Velha Guarda, foram ajudas e rabejadores muitos antigos forcados do Grupo de Vila Franca – alguns já com idade para terem juízo, como se costuma dizer… mas todos eles mantendo a alma e o sangue da valentia que os celebrizou no passado, ajudando com raça, com alma e com um tremendo valor à consumação das pegas. 

Destaque para os brindes de Vasco Pereira aos autarcas de Vila Franca (presidentes da Câmara e da Junta de Freguesia) e à embaixadora de Espanha, Marta Betanzos Roig, que presidiram à corrida no camarote; de Vasco Dotti aos sete cavaleiros que actuaram neste festival comemorativo dos 90 anos do Grupo e a favor das obras da sua futura Casa-Museu; de Jorge Faria ao antigo companheiro Rodrigo Pereira, que foi recordado forcado nos seus tempos de cabo e é uma das vozes destacadas do grupo Fado Marialva; de Ricardo Patusco ao arquitecto David Carvalho, autor do projecto da Casa-Museu do GFA de Vila Franca de Xira; e do antigo cabo Ricardo Castelo aos seus dois filhos menores, lembrando que «esta foi a vida do pai durante muitos anos». 

Ao início do festival, foi guardado um respeitoso minuto de silêncio em memória do antigo forcado vilafranquense António Tomás Pereira e do Comendador Rui Nabeiro, recentemente falecidos.

Fique agora com as sequências das sete pegas aos magníficos toiros da ganadaria de Paulo Caetano – sete hinos à nobre e tão portuguesa arte de pegar toiros, que dispensam mais comentários – na tarde de celebração dos 90 anos da fundação, que são também 90 anos de glória, do Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca.

Momentos irrepetíveis. Momentos inesquecíveis. Numa tarde de afirmação do futuro – com recordações, tantas, do passado.

Até parecia que pegar toiros – e com Forcados desta idade! – é a coisa mais fácil deste mundo…

Obrigado ao Grupo de Vila Franca – em nome da minha aficion que, no estado em que isto está, já não era assim tanta e ontem acho que renasceu e saíu reforçada da «Palha Blanco» graças à Vossa memorável actuação e aos feitos históricos, também, dos Maestros do toureio a cavalo!

Fotos M. Alvarenga


O cabo Vasco Pereira dando o exemplo e moralizando os
«antigos», na primeira grande pega do festival de ontem, com
«Caló» a rabejar à maneira antiga


Vasco Dotti, antigo cabo, na segunda pega da tarde, ao 
segundo intento, com a raça e o valor de todos os tempos


Jorge Faria e a emoção de sempre, a técnica de antigamente
e a alma que nunca perde: grande pega à primeira do também
antigo e recordado cabo, com Carlos Silva a rabejar


Ricardo Castelo, outro antigo cabo, na quarta pega da tarde,
brilhante também, ao primeiro intento, ajudado pela Velha
Guarda, com Ricardo Patusco a rabejar


A pega do grande «Caló», ainda e sempre um dos mais
carismáticos forcados da História, ao segundo intento,
ao quinto novilho do festival. Público de pé!


Sexta pega da tarde consumada com o poderio de sempre
pelo grande Ricardo Patusco, à primeira tentativa


Mário Rui fechou a tarde com chave de ouro pegando à
primeira o último toiro da ganadaria de Paulo Caetano

Read Morehttp://farpasblogue.blogspot.com/